Amor é amor

O maior desafio da humanidade talvez seja entender que respeitar a liberdade do próximo não significa diminuir a sua própria liberdade, e sim aceitar as diferenças, sabendo que não existe uma forma exclusiva de se viver, amar e se relacionar.

O nosso direito de ser livre não deve ser para acabar com as diferenças ou aquilo que não entendemos, essa é uma ilusão do ego que engana a maioria das pessoas que pensam ser guardiãs da verdade e das escolhas do bem.

​Os próprios medos, inseguranças e vontades reprimidas em seus inconscientes se projetam em forma de preconceitos, distorções, manipulações e domínio, e o disfarce é a razão.

​O contrário de amor não é o ódio, mas sim o poder sobre o outro, amar é sinônimo de liberdade, e domínio sobre o outro é sinônimo de insegurança.
​​Quem é feliz e livre não se incomoda com a felicidade do outro, pelo contrário, celebra junto.

Agora vou falar da reflexão mais difícil, e que ninguém está fazendo: precisamos compreender os que taxamos como preconceituosos.

​Isso não significa concordar com seus atos, mas sim entender que somos partes do mesmo universo (único verso), até mesmo os que chamamos de preconceituosos, com histórias de vida, aprendizados e consciências diferentes.
​Todos temos um motivo pra ser como somos. É claro que não devemos de maneira alguma apoiar a opressão, mas as raivas e discórdias de todos os lados só gera cada vez mais competição (as vezes disfarçada).

​Não compreender os opressores é fazer o mesmo que eles, porém, em outro nível, mas não deixa de ser também uma forma de incompreensão.

​Exerce o amor primeiro aquele que tem consciência primeiro.

​O que são os preconceituosos senão pessoas como todas as outras porém com suas próprias limitações, medos e escolhas?
​Não devemos apoiar atos de preconceito, e devemos sim lutar pelo que acreditamos, mas não se resolve a escuridão com mais escuridão, se resolve a escuridão com luz.

​Que a nossa luta seja pela iluminação, até mesmo dos que oprimem, que seja por um mundo de compreensão e cura.

​Que cada um tenha a liberdade de viver pelo que acredita, e que faça isso com amor, afinal toda forma de amor é amor!

​Tiago Silva – CEO do WhereBe




Translation

Love is love

The greatest challenge for humanity might be understanding that respecting other people’s freedom doesn’t mean decreasing your freedom, and accept the differences, knowing there’s no exclusive way of living, loving, and relating to each other.

Our right to be free shouldn’t be to end differences or anything we don’t understand, this is an illusion from our ego that deceives most people that think they are the “truth and right choices guardians”.

Our fears, insecurities, and repressed willingness in our unconsciousness are projected in the form of prejudice, distortions, manipulation, and domain over others, and the disguise is the reason.

The opposite of love isn’t hatred, but the power over the others. Loving is a synonym for freedom, and power over others is a synonym for insecurity.

A happy and free person doesn’t bother about someone else’s happiness, much the opposite. They celebrate together.

Now I’m gonna talk about the hardest reflection, that no one is talking about: we need to comprehend the ones we call prejudiced.

It doesn’t mean to agree with their actions, but understand we are part of the same universe, even the ones we call prejudiced, with their history of lives, learnings, and different consciousness.
We all have a reason to be the way we are. Of course, we don’t have to, in any way, support oppression, but the anger and discord from all sides only generate more competition (sometimes disguised).

Not understanding the oppressors is doing the same as them, however, on another level, it’s another way of not understanding as well.

Practice love first the one who is aware first.

Who are prejudiced people if not people like anyone else, however with their limitations, fears, and choices?
We shouldn’t support acts of prejudice, and we should fight for what we believe, but you don’t end obscurity with more obscurity, you end that with light.

May our fight be for enlightenment, even for the ones that oppress. May this fight be for understanding and cure.

May everyone have the freedom to live for what they believe, and do it with love, nonetheless every way of love is love!

​Tiago Silva – CEO do WhereBe

Tradução: @brunobezerra.me

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts
Total
0
Share